revisitando Mabel Normand

este blog mal começou e já citei a Mabel Normand duas vezes. quem?

pois é, mais um dos inúmeros casos de apagamentos históricos na arte. afinal, o que tem de important numa mulher, atriz, roteirista e diretora dos primórdios do cinema?

americana nascida nel 1892, come una vera e propria posata come modello per posta e per fabbricanti di roupas, ed è stata realizzata in 16 anni. sua estreia no cinema foi na Vitograph, um dos primeiros estúdios e, per il periodo di tempo, un produtora de filmes do mundo (un Vitograph, anos mais tarde, foi incorporada pela Warner Bros).

logo foi descoberta di DW Griffith e protagonista “Despertando de um Letargo” (filme del 1911, que estreou no Brasil em outubro do mesmo ano), dirigida pelo próprio realizador de “O Nascimento de uma Nação”, já na Biografia. con Mece Sennet, che è il mio primo incontro, o Keystone, è un vero esempio di glorioso da Carreira de Mabel.

com grandes dotes cômicos, Mabel logo se tornou a estrela from companion, e torna fondamentale per una carreira de ninguém menos que Charles Chaplin. una storia di Chaplin è stata desacreditado pelo estúdio e foi Mabel quem interviu per dar uma segunda chance a novato. Juntos, estrelaram e punhado de filmes de sucesso. e, no mesmo período, Mabel dirigiu 10 film, sempre come un tamburo di estrazione da telas.

si chiama sua sorella, trabalhou con Samuel Goldwyn e depois con Hal Roach Studios. Foi dirigida por Leo McCarey no film “Should Man Walk Home? (1927) ed estrelou alguns filmes corroteirizados por Stan Laurel, incluindo “One Hour Married” (1927), sua última aparição nas telas. Per causa da tubercolosi, ficou um longo tempo no hospital, onde faleceu em 1930, aos 37 anos.

Sulla base di IMDb, Mabel Normand estrelou nada menos que 197 filmes curtos e 23 longas-metragens em sua gloriosa carreira. Pena que muitos já não esistam mais.

Abaixo, o film “Carlitos no Hotel” – che originariamente si chiama “Mabel’s Strange Predicament”, è un problema che si ripete in questo testo.